Cúria Diocesana (48) 3433.6313 Catedral São José (48) 3433.1079 imprensa@diocesecriciuma.com.br

Bispo anuncia transferências no clero

Data de Publicação
06
2020
06
Sábado
13h21
06 de Junho de 2020 13h21

Na manhã desta sexta-feira, 05 de junho, o bispo diocesano, Dom Jacinto Inacio Flach, anunciou a transferência de padres que ocorrerá durante o mês de junho. Geralmente estas mudanças acontecem no final de cada ano. Porém, quando há uma demanda específica o bispo tem a liberdade de realizar esse exercício em qualquer momento do ano, sem pôr em prejuízo a caminhada pastoral da Igreja.
 
A alteração ocorre na Paróquia São Pedro Apóstolo, no município de Arroio do Silva. Padre Ademar Paulo de Fáveri, que há quatro anos e meio esteve à frente da paróquia, foi transferido para Criciúma, passando a residir na Casa São João Maria Vianey, no Bairro Michel. Ele assumirá a Capelania do Asilo São Vicente de Paulo, instituição que fica nos arredores da Casa São João, a Capelania do Hospital São João Batista, em Criciúma, e ficará à disposição para atender as paróquias locais que precisarem de ajuda com a presidência das Santas Missas.
?Levando em conta os muitos aspectos da ação evangelizadora e considerando a situação de pandemia que estamos enfrentando, achei por bem antecipar esta mudança. Por enquanto as atividades estão reduzidas e como logo a temporada de veraneio vai chegar, é importante que o novo pároco esteja bem integrado ao trabalho pastoral desta paróquia que tem particularidade litorânea. Aproveito para agradecer ao Padre Ademar pelo trabalho realizado durante os últimos quatro anos e lanço votos ao novo pároco para que possa realizar um bom trabalho de evangelização?, manifestou o bispo.
 
Em seu lugar, assumirá o Padre VânioMargutti, que até então era Vigário Paroquial em Jacinto Machado, na Paróquia Santa Terezinha. Será a primeira experiência do padre que, depois de estar viúvo, assumiu o ministério sacerdotal em 2019.
 
Orientações para a celebração dos sacramentos nas paróquias
Dom Jacinto aproveitou a ocasião para anunciar novas orientações pastorais referentes a celebração dos sacramentos nas paróquias durante o tempo de pandemia. ?Aos poucos as atividades celebrativas vão sendo adaptadas para atender as necessidades e ajustadas com as determinações das autoridades sanitárias. Precisamos moldar a forma que celebramos, sem perder o essencial de cada Sacramento?, salientou o bispo.
As principais adaptações são sentidas no Rito do Batismo, autorizado para que seja celebrado nas paróquias, seguindo as normas de distanciamento apresentadas e exigidas pelas autoridades civis. Aos demais sacramentos (Matrimônio, Eucaristia e Crisma) as orientações se voltam ao adiamento e/ou reagendamento, sempre em diálogo com os noivos, catequistas e catequizandos.
 
Segue a nota:
 
Criciúma, 5 de junho de 2020.
 
Orientações para os sacramentos: Batismo, Primeira Comunhão, Crisma e Matrimônio.
 
A) BATISMOS
 
Essas orientações são válidas para os pais e padrinhos que já realizaram o encontro (curso) de pais e padrinhos. Para os demais, pais e padrinhos, que ainda não receberam a devida instrução para o sacramento do batismo, cada paróquia cuide para que os pais e padrinhos recebam a devida instrução. Essa instrução poderá ser realizada por meios telemáticos ou de maneira presencial instruindo família por família sem que haja encontros como estávamos habituados a realizar. Cuide-se para que todas as normas sanitárias e de saúde sejam cumpridas tanto na instrução como na realização do sacramento do batismo.
 
Os batizados sejam celebrados com horário marcado e atendendo cada criança com seus pais e padrinhos de maneira privada, ou seja, não serão realizados nesses tempos de pandemia, batizados de maneira coletiva.
 
1. Para o Sinal da cruz, nos ritos de acolhida, o ministro deve higienizar as mãos com álcool em gel, traçar uma cruz na fronte do batizando; os pais, mas não os padrinhos (a não ser que também eles coabitem com a criança a ser batizada) também farão o sinal da cruz na fronte do filho.
2. Para a Unção pré-batismal o ministro dirá a fórmula prevista, higienizará as mãos com álcool em gel e ungirá como estabelecido no Ritual o peito da criança.
3. Em cada celebração do Batismo, proceda-se a nova bênção de água limpa. Na administração da água batismal, haja o cuidado de que a água derramada no ato do batismo não seja reutilizada para nenhum outro fim ou batismo.
4. Em relação à Unção pós-batismal, o ministro dirá a fórmula prevista, higienizará novamente as mãos com álcool em gel e ungirá como estabelecido no Ritual a fronte da criança.
5. O rito opcional da Entrega do sal seja omitido. O rito do Éfeta poderá ser mantido; nesse caso, o ministro estenderá a mão direita na direção do eleito, sem contato físico, e pronunciará a fórmula prevista no Ritual do Batismo.
6. Nenhum dos demais ritos da Liturgia do Batismo supõe qualquer contato físico a não ser dos pais com a criança que é batizada.
7. Com estes procedimentos, pode ser autorizada a celebração do Batismo de uma só criança por celebração, respeitando-se as orientações em relação à ocupação do espaço e às normas de higiene e distanciamento iguais às previstas para as celebrações das Missas.
 
B) PRIMEIRAS COMUNHÕES
 
1. Tendo em vista a interrupção da catequese por causa da pandemia, uma vez mais orientamos que as primeiras comunhões que seriam realizadas nesse primeiro semestre de 2020 sejam realizadas, se pudermos voltar à catequese presencial, no final do segundo semestre de 2020. As primeiras comunhões que aconteceriam no final do segundo semestre de 2020 sejam realizadas no final do primeiro semestre de 2021.
2. Não é orientação da diocese que haja catequese por Whatssap, ou por outros meios. Entendemos que possa haver interação com os catequizandos por esses meios, contudo não a catequese. A catequese deverá ser retomada quando houver possibilidades de retornarem as aulas escolares. Somente à partir da retomada das aulas presenciais na rede escolar poderá ser organizado nas paróquias o retorno da catequese; desta forma, cada turma devidamente preparada receberá a primeira comunhão.
 
C) CRISMAS
 
1. Para o sacramento da Crisma seguiremos as mesmas orientações das Primeiras Comunhões. Contudo na medida do possível, cada pároco deverá entrar em contato com o bispo para saber das possibilidades na agenda do bispo para serem marcadas as datas para a celebração do sacramento da crisma.
 
D) MATRIMÔNIOS
 
1. As celebrações matrimoniais quando possível devem ser adiadas.
2. As celebrações matrimoniais que por ventura vierem a ser realizadas nesses tempos de pandemia deverão sujeitar-se às mesmas restrições e condicionamentos das missas.
3. As alianças deverão ser manipuladas exclusivamente pelos noivos.
 
Desejo a todos uma frutuosa missão.
Deus os abençoe.
 
+Dom Jacinto Inácio Flach
Bispo diocesano de Criciúma