Cúria Diocesana (48) 3433.6313 Catedral São José (48) 3433.1079 imprensa@diocesecriciuma.com.br

Romaria da Terra em Pescaria Brava contará com centenas de delegados da Diocese de Criciúma

Data de Publicação
08
2017
09
Sexta-feira
12h59
08 de Setembro de 2017 12h59

Foto: Arquivo Prefeitura Municipal de Pescaria Brava

Mais de 570 representantes de comunidades da Diocese de Criciúma confirmaram sua presença na 24ª Romaria da Terra e das Águas, que acontecerá neste domingo, 10, no município de Pescaria Brava, Diocese de Tubarão. De ônibus, vans ou carros, os romeiros, confirmados por 25 paróquias da Diocese, se dirigirão até o CTG do Tio Preto, na localidade de Taquaruçu, às margens da BR 101. O local está situado dentro da bacia hidrográfica do rio Tubarão e próximo às grandes lagoas que formam o complexo lagunar. 
 
A atividade é organizada pela CNBB Regional Sul 4 e envolverá todas as dioceses de Santa Catarina. O tema a ser refletido, em sintonia com a Campanha da Fraternidade 2017, que tratou sobre os Biomas Brasileiros, será "Mata Atlântica, nossa Casa Comum". "O lema, intitulado 'Visitas a terra e a regas, enchendo-a com tuas riquezas' (Sl 65,10a) é parte de uma oração de louvor e gratidão ao Deus Criador que, continuamente, abençoa a obra criada fazendo-a frutificar. Orar é comprometer-se. O lema, pois, induz ao compromisso de cuidado que o Senhor confiou à humanidade e requer nossa consciente colaboração", explica o Coordenador de Pastoral da Diocese de Tubarão, padre Lino Brunel.

O sentido da Romaria
Conforme padre Lino, as Romarias da Terra, em Santa Catarina, organizam-se não diferentes das romarias de outras partes do Brasil, a partir das portas abertas pelo Concílio Vaticano II que, com sua eclesiologia, situa o Povo de Deus no contexto histórico e conclama os batizados para a missão no mundo. "Na América Latina esta missão vai se dar num compromisso de transformação da sociedade atual em uma nova sociedade, através de  ações não meramente religiosas, mas que também levam em conta a realidade da vida de seu povo. Portanto, as Romarias da Terra e das Águas têm como foco a realidade do povo, suas dores, esperanças e lutas", explica Brunel.

Foto: Última edição foi realizada em Timbó Grande e recordou centenário da Guerra do Contestado (Arquivo CNBB Regional Sul 4)

Programação 
Desde a madrugada, um grupo de jovens estará acolhendo os romeiros na entrada do CTG, sendo seis deles da Diocese de Criciúma. Às 08h30min, terá início o ato de abertura e às 08h45min a celebração de acolhida, seguida pela grande concentração, a partir das 09h30min, com desenvolvimento do tema através de palestras, encenações, danças e cantos. O final da manhã será marcado pela Celebração Eucarística, às 11h. O almoço será às 12h30min, sendo que cada romeiro deve levar seu lanche, prato, talheres e caneca, além de chapéu ou sombrinha. Também haverá tendas com alimentação oferecida gratuitamente pelas paróquias da Diocese de Tubarão. Às 14h, será a realizada uma caminhada que terá três paradas para a plantação de mudas, bênção das sementes e mudas e plantação da cruz de cedro. A Diocese de Criciúma é uma das responsáveis por este momento. Conforme o Coordenador de Pastoral da Diocese de Criciúma, padre Joel Sávio, todas as dioceses do Estado plantarão uma árvore símbolo e a escolhida pela Diocese foi o Ipê Amarelo. A Romaria da Terra e das Águas encerrará o encontro com a distribuição de mudas e a bênção de envio, a partir das 15h30min.

De Taquaruçu a Taquaruçu
Segundo padre Lino Brunel, em Santa Catarina, as Romarias da Terra tiveram início no ano de 1986. A primeira Romaria da Terra foi em Taquaruçu, município de Fraiburgo. Este lugar foi escolhido por ter sido palco de um dos maiores massacres na luta pela terra, a chamada Guerra do Contestado, que durou mais de quatro anos, de 1912 a 1916. É prática realizar as Romarias da Terra em lugares marcados por algum fato significativo na luta pela terra. A sétima Romaria da Terra, por exemplo, que ocorreu em Forquilhinha, Diocese de Tubarão (hoje Diocese de Criciúma), em 1992, teve por cenário os sérios problemas ecológicos causados pela exploração do carvão, com o tema "Ecologia e Libertação da Terra", e o lema: "Quem rouba e fere a terra rouba e fere os filhos da terra". A partir de 2003, as Romarias da Terra passaram a incluir também a questão das águas.

Foto: Arquivo Prefeitura Municipal de Pescaria Brava

O que vai ser refletido durante a Romaria
O Texto Base da Romaria desenvolve o tema através de 11 assuntos que serão refletidos: Santa Catarina é parte do bioma Mata Atlântica que o Criador confiou a quase 7 milhões de cuidadores (tema 1). Este jardim, já sem quase todas as florestas e seus povos originários e com espécies de flora e fauna já extintos, está virando deserto, o deserto verde dos eucaliptos e pinus (tema 2). Uma de suas maiores riquezas, a água em abundância, poderá tornar-se escassa para o consumo, tamanha é a agressão que se faz contra ela (tema 3). Uma das intervenções humanas mais agressivas aos mananciais, tanto superficiais quanto subterrâneos, diz respeito à mineração do carvão (tema 4). Faz parte do desenvolvimento, que produziu tanto bem estar e facilidades nos últimos tempos, a consequente agonia do planeta que, por causa do aquecimento global, devolve eventos climáticos extremos cada vez com mais frequência (tema 5). Em decorrência do impacto causado pela exploração do carvão, em âmbito local, acrescido do uso abusivo de agrotóxicos e da ausência de sistema de esgoto na maioria das cidades, além de outros fatores, fazem da bacia do rio Tubarão a região mais degradada de Santa Catarina (tema 6). Todos sofrem com tanta degradação, mas são particularmente os povos das águas, que vivem da pesca artesanal nas lagoas do complexo lagunar e na costa marítima, as maiores vítimas (tema 7). Então, medidas urgentes precisam ser tomadas: o saneamento básico (tema 8), a opção pela produção e consumo de energia limpa e renovável (tema 9), o fortalecimento da agricultura familiar e a produção sustentável (tema 10). E, neste Ano Mariano, a Romaria da Terra e das Águas dirige seu olhar para Maria porque, como ensina o papa Francisco, "sempre que olhamos para Maria, voltamos a acreditar na força revolucionária da ternura e do afeto... na relação com as pessoas, mas também com o meio ambiente" (tema 11).

Missa será transmitida para a região
A Rádio Voz da Vida 104.3 FM, de Nova Veneza, retransmitirá a celebração da missa da Romaria, a partir das 11h, pelo sinal da Rádio Tubá 730 AM, de Tubarão.

Mais informações podem ser encontradas em http://diocesetb.org.br/noticias/detalhes/477