Cúria Diocesana (48) 3433.6313 Catedral São José (48) 3433.1079 imprensa@diocesecriciuma.com.br

Paróquia Mãe dos Homens promove Grito dos Excluídos

Data de Publicação
08
2017
09
Sexta-feira
12h51
08 de Setembro de 2017 12h51

Lideranças se mobilizaram para participar do desfile cívico
 
Na manhã desta quinta-feira, 07, cerca de 125 pessoas participaram do Desfile Cívico no município de Araranguá representando a Paróquia Nossa Senhora Mãe dos Homens, que pela primeira vez organizou o Grito dos Excluídos com frases em cartazes e faixas que remetem ao lema deste ano: "Por direitos e democracia, a luta é todo dia".
 
O Grito dos Excluídos é uma manifestação popular carregada de simbolismo, é um espaço de animação e profecia, sempre aberto e plural de pessoas, grupos, entidades, igrejas e movimentos sociais comprometidos com as causas dos excluídos. O Grito é uma descoberta, uma vez que agentes e lideranças apenas abrem um canal para que o Grito sufocado venha a público.

O objetivo geral do Grito dos Excluídos no Brasil é valorizar a vida e anunciar a esperança de um mundo melhor, construindo ações a fim de fortalecer e mobilizar a classe trabalhadora nas lutas populares. Denunciar a estrutura opressiva e excludente da sociedade e do sistema neoliberal que nega a vida e quer nos impedir de sonhar.

O pároco, Padre Alirio Leandro comentou sobre a participação da paróquia. "Nossas 14 comunidades participaram com seus 22 serviços de pastorais e movimentos. Foi um momento muito importante".

Além disso ele salientou como foi a organização do pelotão. "O grupo foi formado por lideranças que vieram na frente com roupas pretas trazendo ramos e folhas secas para simbolizar a morte presente em nossa sociedade. Traziam também os dados de morte causados pelo capitalismo selvagem no Brasil. No meio vieram os festeiros e noveneiros com o Casal Imperial da festa do Divino trazendo as bandeiras do Divino Espírito Santo para simbolizar que a nova sociedade vem da força do Espírito Santo. No final estava um grupo vestido com roupas brancas e traziam nas mãos flores e ramos verdes simbolizando a Esperança e também frases de uma nova sociedade, além da Pastoral Social", concluiu.

O primeiro Grito dos Excluídos gerou surpresa na população e o palco principal aplaudiu a ação que foi uma novidade neste ano.

Colaboração: Eduardo Souza - Assessoria de Imprensa