Cúria Diocesana (48) 3433.6313 Catedral São José (48) 3433.1079 imprensa@diocesecriciuma.com.br

Padre Thiago prossegue doutorado com publicações em jornal do Vaticano

Data de Publicação
29
2017
08
Terça-feira
15h00
29 de Agosto de 2017 15h00

Se a missão do sacerdote está em converter as ovelhas para Cristo e não para si, um jovem padre da Diocese de Criciúma, que há pouco mais de um mês teve seu segundo artigo publicado em um periódico internacional, não se utiliza do fato para fazer dele motivo de presunção.
 
"Seria vaidade", disse ele à Assessoria de Imprensa da Diocese, quando o procurou para noticiar sua aprovação, em primeiro lugar, para o curso de Doutorado, no final do ano passado. Padre Thiago De Moliner Eufrásio, 33 anos de idade, sete de sacerdócio, é assim: não gosta de aparecer e só aceitou a divulgação se o objeto de destaque fosse seu estudo, e não a pessoa dele.
 
Em 14 de dezembro de 2016, padre Thiago foi aprovado no exame seletivo para o Doutorado em Teologia Sistemática, pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS) ficando em primeiro lugar na classificação. O doutoramento tem duração de quatro anos, e tem por base as verdades da fé (dogmas) e os fundamentos da Teologia, numa área do conhecimento chamada Teologia Sistemática. Na mesma universidade, no campus de Porto Alegre (RS), ele concluiu seu Mestrado também na mesma área. Liberado pela Diocese para se dedicar aos estudos, quando está aqui, padre Thiago auxilia a Paróquia Nossa Senhora Mãe dos Homens, em Araranguá, mas é à Paróquia São José, no bairro Partenon (POA), que ele dedica a maior parte do tempo, enquanto não está na sala de aula, celebrando missas à noite e nos finais de semana, nas seis populosas comunidades atendidas pelos padres Josefinos.
 
Motivo de alegria para a Diocese de Criciúma, padre Thiago teve dois artigos publicados no jornal semanal do Vaticano, o L'Osservatore Romano, impresso em várias línguas. A primeira publicação foi ainda no ano passado, em 05 de maio de 2016, e a última, em 20 de julho deste ano. "É um jornal que líamos no seminário e na faculdade. Tem por característica uma abordagem filosófica e teológica, além de trazer notícias da Igreja e, de modo especial, do Papa. Se é possível dar uma contribuição, pensei: 'Por que não enviar um texto?' Mandei um e-mail perguntando se eles aceitavam submeter um artigo para publicação e me responderam que sim. Mandei o primeiro no ano passado e uma semana depois mandaram a resposta dizendo que estava aprovado e que seria publicado. Para o segundo, a mesma coisa. Como eu já conhecia o formato, procurei respeitá-lo e enviei", relata padre Thiago.
 
O primeiro texto publicado, intitulado "Aspecto fundamental para o sentido da vida - Misericórdia como alteridade" dividiu espaço com um teólogo italiano e o segundo, "Paralelismos com a EvangeliiGaudium - Alice, o chapeleiro e o tempo" foi chamada de capa e teve uma página toda dedicada ao artigo. "O primeiro foi mais teológico, tratei do tema proposto para o Ano da Misericórdia. O segundo, como trata da questão do tempo, ficou mais filosófico. São duas abordagens diferentes. O primeiro é menor e de mais fácil leitura; esse segundo, embora tenha nascido de uma peça de teatro que eu assisti, é mais filosófico, tem uma linguagem um pouco mais complexa para quem não é habituado", explica.
 
Conforme padre Thiago, a publicação é importante para quem está estudando. "Estando noambiente acadêmico de estudo, leitura e produção, é importante oferecer algum fruto e um dos frutos que se pode oferecer é justamente publicando aquilo que se estuda para que outras pessoas tenham acesso. O propósito de quem pesquisa é esse: poder tornar acessível aquilo que aprofunda e descobre no laboratório, na biblioteca, nas pesquisas de campo, enfim, aonde está. Do contrário, fica uma pesquisa arquivada, então ela não tem muito sentido de ser. Agora, se você pode estudar, pesquisar, aprofundar e tornar isso acessível, esse é o objetivo!", salienta o presbítero.
 
De acordo com padre Thiago, os textos publicados se caracterizam mais como uma síntese, em razão do espaço e do formato da publicação. Não se trata de um texto longo, mas de tópicos que fazem parte de uma pesquisa maior, como no caso do texto publicado em julho. "O último texto é fruto de uma peça de teatro que assisti, a partir dali, você vai fazendo relações, sempre a partir daquilo que você já estuda. Não é um artigo científico, como costumamos publicar nas revistas científicas, com cerca de 15 páginas, onde o tema é mais aprofundado, de acordo com o público. Esse é mais sintético. O foco da nossa publicação não são tanto esses jornais, porém são contribuições de maior abrangência, porque é um público bem mais amplo que lê, mas o propósito primeiro são as revistas acadêmicas e científicas", frisa o sacerdote.
 
Padre Thiago já teve artigo publicado também na Revista Encontros Teológicos, da Faculdade Católica de Santa Catarina (Facasc) e outros textos aguardando aprovação para publicação em outros periódicos nacionais. Além disso, tem feito comunicações em congressos e jornadas científicas propostas pela universidade. O presbítero deve terminar seu Doutorado até março de 2021, mas está se organizando para concluir antes dessa data. "O tema do meu doutorado é uma continuação do mestrado. No mestrado, eu trabalhei a temática da dignidade da pessoa humana, a partir da humanidade de Cristo. Agora, no doutorado, é um pouco mais específico, e também em torno da pessoa humana, só que, agora, respondendo a outra pergunta: 'Qual é a identidade dos cristãos no mundo plural?' Nós estamos num mundo onde há todos os tipos de identidade, de pessoas, de expressões, de religiões, de igrejas, enfim, há uma infinidade de expressões, de convicções que oferecem sentido. Mas no meio disso tudo, tem alguma coisa que é própria dos cristãos, que os diferencia dos demais? Ou o cristão se perde no todo? No meio de um leque de possibilidades, o que é específico do cristão? Essa é a pergunta do projeto. As hipóteses partem da Doutrina Trinitária, que é de onde decorre o mistério da Igreja e o mistério dos cristãos - a Trindade e da Teologia da Graça, a autocomunicação de Deus. A reposta está por aí: a partir da plenitude da Revelação em Jesus, sublinhar quais são os traços que se podem identificar como específicos dos cristãos e repropo-los, como sugeriu o Papa João XXIII, de modo compreensivo aos homens e mulheres de hoje. Isso vai significar, dentro da Teologia Sistemática, âmbito da minha pesquisa, que se dê atenção a algumas áreas específicas além da Teologia Trinitária e da Teologia da Graça, como a Antropologia e a Cristologia, por exemplo".
 
Neste ano de 2017, padre Thiago dedica-se às aulas. A partir do ano que vem, permanecerá focado, especificamente, na produção da tese de doutorado. "E a tese tem esse diferencial de você ter que dizer algo que, digamos, não que nunca tenha sido dito por ninguém, mas que o modo de dizer seja novo", sorri.