Cúria Diocesana (48) 3433.6313 Catedral São José (48) 3433.1079 imprensa@diocesecriciuma.com.br

Frei Sérgio Rosa parte para a Casa do Pai

Data de Publicação
27
2018
05
Domingo
13h46
27 de Maio de 2018 13h46

O religioso, que foi vigário paroquial na Paróquia São João Batista, em São João do Sul, está sendo velado na capela da Casa São Frei Pio, em Caxias do Sul - RS, onde, às 15 horas deste domingo, 27, haverá missa de despedida, presidida pelo ministro provincial frei Nilmar Carlos Gatto. O sepultamento será no Memorial dos Capuchinhos de Caxias do Sul. A Diocese de Criciúma manifesta seu pesar e dedica suas orações pela alma deste irmão e solidariedade a todos os familiares, paroquianos, e Freis Capuchinhos.

Frei Sérgio Rosa

Faleceu no dia 27 de maio de 2018, às 01h15min, na Casa de Saúde, junto ao Convento Imaculada. Está sendo velado na capela da Casa São Frei Pio onde, às 15 horas haverá missa de despedida, presidida pelo ministro provincial frei Nilmar Carlos Gatto. O sepultamento será no Memorial dos Capuchinhos de Caxias do Sul, junto à matriz Imaculada Conceição, no bairro Rio Branco.

Frei Sérgio tinha 83 anos, 65 de vida religiosa e 33 de ministério presbiteral. Nos últimos tempos, ocorreram várias internações hospitalares. No dia 10 de agosto de 2017, foi internado no Hospital Pompéia, com hemorragia digestiva, problemas hepáticos e ascite (acúmulo de líquido seroso na área abdominal). A partir de 18 de agosto de 2017 seguiu com tratamento na Casa São Frei Pio. O quadro de ascite, mais cirrose descompensada e congestão pulmonar só fizeram aumentar a gravidade das complicações em decorrência da cirrose hepática

Filho de Davide Rosa e Amábile Pittol Rosa, era natural de Garibaldi e ingressou no seminário de Veranópolis em 1946. Vestiu o hábito, com ingresso na fraternidade capuchinha em 1951, ano em que também iniciou o noviciado no Convento de Flores da Cunha, fazendo a profissão dos votos religiosos na Ordem dia 23 de julho de 1952.

Durante quase 30 anos viveu a vida capuchinha como irmão não ordenado. Foi linotypista do Correio Riograndense e Editora são Miguel durante 12 anos (1952-1961) e do setor de cobranças da Rádio e TV Difusora Portoalegrense por 15 anos (1964-1979).

No final de 1979 solicita passar da condição de irmão capuchinho para o de presbítero. Estudou filosofia de forma intensiva, na PUCRS, realizando, a seguir, os estudos teológicos em Salvador, BA (1981-1984), período de presença fraterna junto ao então bispo auxiliar de Salvador, Dom frei Ângelo Domingos Salvador.

Foi ordenado sacerdote em 1984, em Garibaldi, por Dom frei Ângelo Salvador. Desde então, atuou na pastoral paroquial, como pároco nas paróquias São João Batista, de Esmeralda, São Paulo, de São Paulino, Ipê; e como vigário paroquial das paróquias São Gonçalo do Retiro, em Salvador, BA, Quinta/Rio Grande, São José do Norte, Garibaldi, Flores da Cunha, Ipê, Vacaria e São João do Sul, SC. Em ocasiões de necessidade, em nome da Província, atuou como pároco, em Marcorama, e como auxiliar na paróquia da Barra, BA.

Na vida como capuchinho integrou as fraternidades Imaculada (Caxias do Sul), São Lourenço de Brindisi, de Porto Alegre, São José, de Pelotas, Garibaldi, Lagoa Vermelha, Flores da Cunha, Ipê, Vacaria, e Santa Catarina, residindo em São João do Sul. 

Nos primeiros anos como presbítero, participou do curso de Teologia Pastoral, realizado pelo Centro de Orientação Missionária (COM), de Caxias do Sul. Em julho de 1977 celebrou o jubileu de prata de vida religiosa e, em 2002 o jubileu de ouro e, em 2009, o jubileu de prata de ordenação presbiteral. Seu jeito simples e sempre disposto permitiram a construção de muitos laços de amizade, em todos os lugares onde atuou. Nem mesmo a doença limitou o seu contínuo desejo de superação. Sempre esteve próximo da sua família. Será lembrado pelo jeito fraterno de viver e pelo amor à Ordem Capuchinha e à Igreja.  

Que Deus lhe conceda o descanso e a luz eterna. Amém. 

Fonte: Capuchinhos do Brasil /CCB

Por Frei Cristian Martins Almeida (Frat. Santa Maria)