Cúria Diocesana (48) 3433.6313 Catedral São José (48) 3433.1079 imprensa@diocesecriciuma.com.br

Diocese avalia caminhada e conhece novo coordenador de pastoral

Data de Publicação
21
2018
10
Domingo
21h00
21 de Outubro de 2018 21h00

Durante todo o dia de sábado (20), padres, religiosas, leigos e leigas representantes das 34 paróquias e três santuários da Diocese de Criciúma, coordenadores diocesanos de serviços de pastoral e movimentos estiveram reunidos por meio do Conselho Geral de Pastoral. A atividade foi acolhida pela Paróquia Santuário Nossa Senhora Mãe dos Homens, em Araranguá. No auditório do novo Centro de Pastoral, os mais de 150 conselheiros refletiram a realidade das práticas pastorais realizadas em suas paróquias e comunidades, à luz das orientações do Plano Diocesano de Pastoral, cuja vigência vai até 2023. A vivência do objetivo geral da Diocese, das urgências, da fé, da comunhão e da participação, forças e fraquezas foram apontadas por meio de trabalhos em grupos.
 
"É sempre importante olharmos para o que fizemos e o que vamos fazer para nossa Igreja. Da parte de Deus, sempre é tempo da graça e, por isso, nós estamos aqui, porque queremos participar do tempo da graça de Deus, fazendo nosso planejamento e nos colocando à disposição para servir a sua Igreja", abriu a reunião o Bispo Diocesano, Dom Jacinto Inacio Flach, pedindo a bênção de Deus sobre o Conselho.

O planejamento pastoral
 
Na parte da manhã, o grupo contou com a assessoria do doutorando em Teologia Sistemática (PUCRS), padre Thiago De Moliner Eufrásio, que abordou o tema "Planejamento Pastoral - motivações e perspectivas". "Em uma expressão: planejar é administrar o tempo. Segundo alguns filósofos contemporâneos, o tempo é o maior bem que uma pessoa pode ter e será o grande símbolo de riqueza humana: ter tempo. Bom, aqui entra a famosa expressão: não tenho tempo. Às vezes real, mas muitas vezes uma espécie de justificativa barata de quem não quer se comprometer ou quer se fazer importante. Como disse, administrar o tempo é saber planejar", disse padre Thiago.
 
O assessor convidou à escuta do Evangelho de São Lucas 14, 25-34. "Nesse evangelho, transparece a finalidade do planejamento pastoral: levar as multidões que acompanham Jesus ao discipulado-missionário. Lucas apresenta um itinerário precioso e preciso: multidões acompanham Jesus. Sua palavra e seus sinais são conhecidos. Mas isso não significa discipulado. Identificar quem compõe essa multidão: para quem e com quem estamos falando? Vivemos em um tempo onde não se pode mais pressupor a fé das pessoas. Sua maturidade para a ação. O encontro com ele é marcado por duas atitudes; primeira: colocá-lo como fundamento, ou seja, como referência das escolhas e decisões; segunda: assumir as consequências do seguimento, ou seja, coerência. Promover um processo de evangelização que leve em conta não somente a realidade social e cultural, mas o grau de aproximação da Igreja e o conhecimento da fé das pessoas. Não se pode nivelar as pessoas ou supor a evangelização. A coerência da fé não é pressuposto, é consequência de um caminho de amadurecimento. Para isso é preciso saber qual a finalidade, as possibilidades, os riscos, os recursos, os possíveis conflitos, os limites e as parcerias necessárias. Ter, diante disso, um planejamento real que é sempre circunstancial: Onde estamos? Onde queremos chegar? Quem e quantos iremos atingir nessa ação? Quando e onde vamos começar? Quando iremos concluir? Quais os recursos humanos, financeiros, técnicos são necessários? Os riscos a serem evitados? Qual serão os pontos de avaliação? Disponibilidade para um discipulado se transforma em missionariedade. O planejamento pastoral, para ser bem executado, precisa ser traduzido em um projeto que vise, sobretudo, as pessoas envolvidas na execução e nas consequências. E um projeto preciso e delimitado: o amadurecimento na fé que se traduz em um discipulado-missionário".

Preparação para os sacramentos será remodelada
 
A tarde de encontro foi dedicada a outro tema importante e desafiador: a apresentação do projeto de Iniciação à Vida Cristã, com exemplos de catequese para o Batismo e para o Matrimônio de outras dioceses. O assunto contempla a estratégia de número 1 do Projeto de Ação Pastoral da Diocese de Criciúma 2018-2019: "Iniciar o acompanhamento personalizado dos casais em preparação para o matrimônio, conforme orientação da CNBB; da mesma forma, a preparação para o Batismo também seja orientada para o método de acompanhamento personalizado".
 
Novamente, por meio de grupos, os conselheiros tiveram a oportunidade de avaliar e apresentar sugestões sobre os métodos apresentados e que deverão ser abraçados pela Diocese, por meio da constituição da Comissão Diocesana de Iniciação Cristã, que terá o papel de estudar e propor novos métodos para a recepção dos sacramentos. A Comissão deverá apresentar um esboço do Projeto Diocesano de Iniciação à Vida Cristã para o Conselho Diocesano de Pastoral no mês de maio de 2019. O passo seguinte será a definição de um calendário de formação para os padres, secretários paroquiais e lideranças. A Comissão, a partir da aprovação do Projeto, deverá apontar materiais e métodos para a formação e preparar monitores, que assumirão a tarefa de aparelhar as paróquias para assumirem as novas metodologias de preparação.
 
Em resumo, as primeiras propostas de método por acolhimento para o sacramento do Batismo e para o sacramento do Matrimônio indicam a preparação para por meio de mais de um encontro, apenas - o do Batismo, em quatro etapas, e o do Matrimônio em onze - valorizando a vivência em comunidade. O projeto ainda não foi aprovado e, portanto, segue em estudo e poderá ser alterado, sob a aprovação do Conselho Diocesano de Pastoral.

Novo Coordenador de Pastoral é anunciado
 
Quase ao final da reunião do Conselho, o Bispo Dom Jacinto tomou a palavra para anunciar a nomeação de padre Antônio da Silva Miguel Júnior, pároco da Paróquia São José, para a missão de Coordenador Diocesano de Pastoral, a partir de janeiro de 2019, com mandato de dois anos. "É uma notícia muito boa, especial para nossa Igreja. Padre Joel está terminando, depois de seis anos de Coordenação de Pastoral, e nós precisávamos de outro coordenador. Vocês sabem que não é fácil alguém assumir este trabalho, não que seja complicado, mas é um trabalho exigente. Temos a alegria de uma pessoa que, no Conselho de Presbíteros, foi a mais indicada, e no Conselho de Pastoral, igualmente, já na outra vez foi indicado", disse Dom Jacinto.
 
Padre Antônio Júnior informou que continuará a serviço da Paróquia São José, onde está há sete anos, ainda com função a ser definida. O presbítero conciliará sua atividade na Diocese com os estudos em Direito Canônino, em Florianópolis, durante uma semana por mês, a serviço da Câmara Eclesiástica da Diocese de Criciúma, que cuida dos casos de nulidade matrimonial.
 
Padre Antônio Júnior partilhou com os membros do Conselho a trajetória para tomar sua decisão. "A conversa começou em agosto deste ano. De lá para cá, foram muitas conversas. A última foi na quinta-feira e encerramos à meia noite, ponderando uma série de coisas, as preocupações que temos enquanto Diocese, minhas limitações pessoais, as necessidades da Igreja e daquilo que se espera, também, de um coordenador. É uma função que assumo com certo tremor, talvez com o tremor de Salomão, pedindo a Deus que me dê muita sabedoria, neste momento que nós vivemos em nossa Igreja diocesana. Não foi uma decisão fácil. Em muitos momentos eu disse que não, mas chegamos ao sim, e uma vez que o sim foi dado, precisamos ter a confiança de Maria e assumir este sim com coragem e com os olhos da fé. Eu dizia quinta-feira para o padre Joel e de tudo que conversamos, eu espero que tudo aconteça, nada mais, nada menos, do que a vontade de Deus e não a nossa, porque nós somos passageiros e a Igreja não é nossa; nós somos colaboradores. Eu escutava hoje pela manhã todas as ações, críticas, coisas boas, positivas e, desde já, eu quero dizer a vocês, irmãos e irmãs, leigos, sacerdotes, religiosas, que tudo está em nossas mãos. Não adianta trocar o coordenador, o bispo, está em nossas mãos. Todos somos colaboradores e se nós todos não trabalharmos juntos por esta unidade que se pede, por esta comunhão que se fala, nós não vamos conseguir. A primeira palavra que eu gostaria de dizer, sem menosprezar ninguém, é aos meus irmãos sacerdotes: eu espero contar com cada um de vocês, do seu jeito, com suas ideias, com aquilo que pensa da Igreja, porque eu creio que cada um dos senhores, assim como eu, deram a vida por amor à Igreja. Mesmo que pensemos diferente em muitos aspectos, é juntos que nós devemos trabalhar. Se nós queremos ter uma diocese com uma linha, com um olhar sobre todas as coisas. Se queremos que haja uma pastoral melhor, mais dinâmica, mais orgânica, comecemos por nós, sacerdotes, nos amando, nos unindo e trabalhando pelo mesmo objetivo que todos nós temos, que é o bem da nossa Igreja. Peço a Deus, pela intercessão de Nossa Senhora, que nos ajude. Eu me vejo como um pequeno colaborador de Dom Jacinto na missão de animar a nossa Diocese. Rezem por nós, nós estaremos rezando por vocês e nos sintamos todos parte deste processo. Se não trabalharmos juntos, não vamos chegar à comunhão, nem à unidade e nem a esses sonhos todos que nós temos na nossa Diocese. Vamos com coragem e, sobretudo, com confiança neste Deus que nos chamou para estarmos neste momento a frente das atividades e serviços da nossa Diocese. Que Deus nos ajude, Nossa Senhora interceda e que São José olhe por todos nós. Obrigado!", pronunciou o futuro Coordenador de Pastoral.

Datas definidas
 
Algumas das principais atividades diocesanas para 2019 já foram agendadas e aprovadas pelos conselheiros, como o Estudo Diocesano sobre a Campanha da Fraternidade, no dia 09 de fevereiro, e a Missa do Crisma, que será realizada no dia 17 de abril, na Paróquia Santo Alexandre, em Treviso, que celebra seu jubileu de ouro.
 
A próxima reunião a ser realizada pela Diocese de Criciúma será no dia 1º de dezembro, na Fundação Shalom da Família, tendo por tema as Orientações Pastorais.

Confira o álbum de fotos completo no Facebook