Cúria Diocesana (48) 3433.6313 Catedral São José (48) 3433.1079 imprensa@diocesecriciuma.com.br

Catedral celebrará o centenário de sua edificação

Data de Publicação
06
2017
09
Quarta-feira
16h32
06 de Setembro de 2017 16h32

Cem anos de orações, de evangelização, de sacramentos ministrados, de serviços e trabalhos compartilhados, de graças alcançadas ao povo de Deus. No dia 17 de setembro, a igreja dedicada a São José, no centro de Criciúma, há 19 anos instituída Catedral São José, celebra o centenário de sua edificação.

Durante este ano, uma série de atividades foi desenvolvida pela Paróquia São José, com suas seis comunidades, em alusão ao grande momento que será celebrado pela igreja mãe da Diocese. A festa do Padroeiro, a celebração da Missa do Crisma, a solenidade de Corpus Christi, cujos tapetes buscaram retratar, além de temas eucarísticos, a história da igreja local; a apresentação do Musical Oratório Senhora de Fátima e a criação da logomarca dos 100 anos foram algumas das atividades que integraram o calendário jubilar até agora. Entretanto, o que mais tem chamado a atenção, nos últimos meses, é a reforma externa da igreja, que será concluída nesta semana, de acordo com o pároco, padre Antônio da Silva Miguel Júnior.

Imagens sacras retornam restauradas

Por fora, os serviços de pintura se voltam aos acabamentos finais; na parte interna da igreja, foram recuperados pontos de umidade e, mais importante ainda, a restauração de todas as imagens sacras. "As imagens dos santos da Catedral foram restauradas e as que tínhamos na parte externa serão imagens novas, que são os quatro evangelistas - São Mateus, São Marcos, São Lucas e São João - e São Pedro e São Paulo. Também voltará a imagem de São José para o nicho que havia lá em cima, vazio", conta padre Antônio Júnior.

Entre as imagens que retornaram à igreja está a de Santa Terezinha em seu leito de morte e a do Senhor Morto, em novos altares laterais. Segundo o pároco, uma das imagens mais esperadas pelos paroquianos foi a do Sagrado Coração de Jesus e uma nova que está para chegar e foi doada por paroquianas, que é a do Menino Jesus de Praga. "Aqui em Criciúma há uma devoção muito grande ao Menino Jesus de Praga e nenhuma igreja tinha essa imagem. E ainda vamos colocar de volta a imagem de Nossa Senhora Aparecida, que é uma réplica da imagem original, com a coroa original, mas a imagem deve voltar só depois que o nicho ficar pronto", explica o presbítero.

Catedral será consagrada e receberá relíquias de santos

Na manhã do domingo, 17, às 10 horas, será celebrada a Solene Missa em Ação de Graças, que será presidida pelo Bispo Diocesano, Dom Jacinto Inacio Flach, com a bênção da cátedra e o rito de Dedicação da igreja, que contará com a deposição de uma relíquia no altar. "Nós recebemos uma graça bastante grande. Fizemos o pedido, Dom Jacinto e eu, para o Arcebispo Emérito de Cracóvia, Cardeal Dom Stanislaw Dziwisz, que foi secretário do Papa João Paulo II, e ele mesmo entregou ao padre Wladislau Milak a relíquia de São João Paulo II, que será colocada no altar na dedicação da Catedral. Nós vimos como um grande presente de Deus. E se já não fosse bastante, Deus nos presenteou também com a relíquia de Santa Faustina Kowalska, aquela viu o Coração Misericordioso de Jesus. Por isso nós também queremos dar graças a Deus!", declara o padre.

Padre Antônio Júnior afirma que as relíquias que serão recebidas são de primeiro grau. "Do Papa João Paulo II é um pequeno pedaço de pano que traz o sangue dele e, de Santa Faustina, um pedacinho bem pequeno do corpo dela. Depois da consagração, tendo em vista que o altar será consagrado com a relíquia de São João Paulo II, será colocada também uma imagem dele e nós também recebemos da Cracóvia a estampa de Santa Faustina e de Jesus Misericordioso. Essas duas estampas, com a relíquia de Santa Faustina, serão expostas, no ano que vem, na festa da Divina Misericórdia, no primeiro domingo após a Páscoa. Queremos colocar solenemente, preparar um espaço, porque queremos deixar a relíquia à mostra para que as pessoas possam tocar e fazer suas orações", afirma o pároco.

Motivo de júbilo para todos

Todos os padres, comunidades religiosas, lideranças, leigos e autoridades são convidados a participar do jubileu. "Tendo presente que a Catedral está em Criciúma, mas ela não é só de Criciúma; ela é da Diocese e então toda a Diocese é convidada a estar conosco. Esperamos que seja um dia bastante abençoado. Nós sabemos que será um dia bem intenso, porque na parte da manhã teremos a consagração e a dedicação da Catedral e, à noite, às 19h30min, também fazendo parte da programação dos 100 anos, nós teremos o início do 5º Cerco de Jericó", acrescenta o sacerdote.

O Jubileu de 100 anos também será marcado pelo selo comemorativo dos Correios e uma mostra fotográfica, que deve acontecer até o fim do ano, reunindo objetos e fotografias antigas. A Paróquia São José também irá inaugurar um monumento na Praça do Congresso. "Trazendo presente o nome da Praça, o porquê de a Praça ter esse nome, justamente por conta de um Congresso Eucarístico, e também a placa com a logo dos 100 anos da Catedral", conta padre Antônio Júnior.

Câmara fará sessão em homenagem

Na quarta-feira, 13, a Câmara de Vereadores de Criciúma, por proposição do vereador Julio Cezar Colombo, realizará a Sessão Especial em homenagem ao Centenário da Igreja São José. O evento terá início às 19 horas, no Auditório da Paróquia São José.

Breve histórico da Igreja São José

Em 1899 foi inaugurada a primeira igreja de madeira, cuja réplica hoje se encontra no Morro Cechinel (construída em 2006). Dom José Camargo de Barros, então Bispo de Curitiba (PR), nomeou por primeiro padre o sacerdote italiano Ludovico Coccolo. Na época, Criciúma pertencia à Diocese de Curitiba. Em 1905, o mesmo bispo elevou a igreja a curato. A segunda igreja, em alvenaria, teve sua construção iniciada em 1907, sob a condução do padre João Canônico, ficando um tempo estagnada e sendo retomada em 1909, até ser inaugurada em 17 de setembro de 1917, à época do padre José Francisco Bertero. No dia 21 de dezembro de 1950, quando a igreja já pertencia à Arquidiocese de Florianópolis (desde 1908), foi elevada igreja matriz, com a criação da Paróquia São José, pelo Arcebispo Dom Joaquim Domingues de Oliveira. Em 1954, com a criação da Diocese de Tubarão, a Paróquia passou a pertencê-la até 1998, quando foi criada a Diocese de Criciúma. Com predominância do estilo clássico romano, a Catedral São José já passou por diversas reformas, a mais significativa em abril de 2012, fruto de uma obra de seis anos, que resultou na ampliação dos espaços hoje dedicados ao presbitério, capela do Santíssimo e sacristias, restauração do órgão de tubos de 1959 e da imagem do padroeiro, São José, além do aumento de 500 para 800 assentos para os fiéis. A nave original, estruturada sobre 12 colunas, permaneceu, como também foi preservada a pintura de São José feita pelo artista plástico Willy Zumblick, no teto central.