Cúria Diocesana (48) 3433.6313 Catedral São José (48) 3433.1079 imprensa@diocesecriciuma.com.br

Bispo preside missa com imposição das cinzas na Catedral

Data de Publicação
07
2019
03
Quinta-feira
13h25
07 de Março de 2019 13h25

Na noite desta quarta-feira, 06, o Bispo da Diocese de Criciúma, Dom Jacinto Inacio Flach, presidiu a santa missa com bênção e imposição das cinzas, na Catedral São José. Centenas de fiéis participaram da celebração que abre o tempo quaresmal. "Este período da Quaresma, para nós, católicos, é muito importante. Quarenta dias que nos preparam para a Santa Páscoa, que é o grande mistério da nossa fé: celebrar a paixão, morte e ressurreição de nosso Senhor Jesus Cristo, que quer que nós participemos desse mistério de uma maneira muito especial", disse o Bispo no início de sua homilia.
 
Dom Jacinto recordou a caminhada do povo de Deus no deserto em busca da terra prometida durante 40 anos e também os 40 dias que Jesus permaneceu no deserto se preparando para sua missão e comparou o período de 40 dias como um tempo para purificação e conversão pessoal. Conforme o epíscopo, a Quaresma é um tempo propício para que cada cristão possa chegar mais perto do amor e da misericórdia de Deus. "A Igreja propõe as cinzas, que nos lembram que somos pó e a ao pó voltaremos, mas tem outro sentido, também, de conversão", falou Dom Jacinto, ao repetir o pedido que se pronuncia ao assinalar a fronte de cada cristão: "Converta-te e crede no Evangelho!"
 
"É sempre nossa missão para toda a vida, não só para esses 40 dias. Que nós possamos nos converter para Deus e para o próximo. A Igreja nos propõe penitência, jejum, oração e caridade. E essa caridade se manifesta de muitas maneiras", pontuou o Bispo, ao recordar novas propostas de jejum para este tempo, como o de deixar as redes sociais de lado e dedicar mais tempo e atenção ao convívio com os familiares, idosos e doentes - "ter mais tempo para o próximo", disse.

Fraternidade e Políticas Públicas
 
Dom Jacinto ressaltou que o centro da Quaresma é sempre a preparação para a Páscoa do Senhor, porém fez questão de destacar o pedido da Igreja no Brasil através da Campanha da Fraternidade que, neste ano, tem como tema "Fraternidade e Políticas Públicas" e lema "Serás libertado pelo direito e pela justiça" (Isaías 1,27). "Nós não estamos falando em política partidária. Às vezes, as pessoas têm certa rejeição. Falamos de política: aquele bem comum que deve ser feito em nossa sociedade. O Papa São João Paulo II dizia que a maior e melhor maneira de se fazer o bem na sociedade é pela política".
 
O Bispo enfatizou a importância da participação dos cristãos católicos nos espaços destinados à Igreja dentro de conselhos de políticas públicas municipais e estadual, uma das propostas da CF 2019. "Em toda a América Latina, o Brasil é o país que mais tem políticas públicas, só que precisa melhorar bastante ainda. Aí a Igreja quer que nós, cristãos, pessoas de boa vontade, participemos", explicou.
 
Dom Jacinto lembrou que a CF 2018 arrecadou quase 7 milhões de reais por ocasião da Coleta Nacional da Solidariedade. Um grande percentual deste valor foi destinado, pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, para acolher milhares de refugiados que entraram no Brasil provenientes da Venezuela. "Nós nos alegramos que a Igreja no Brasil tem esta grandeza de a Campanha da Fraternidade fazer esta coleta que ajuda milhares de pessoas no nosso país!".