Cúria Diocesana (48) 3433.6313 Catedral São José (48) 3433.1079 imprensa@diocesecriciuma.com.br

Agentes de pastoral são desafiados a uma catequese adequada à mudança de época

Data de Publicação
25
2017
06
Domingo
20h00
25 de Junho de 2017 20h00

No ambiente, um caminho, e por ele, algumas pegadas, com as cores das comarcas pastorais da Diocese de Criciúma, se colocam em direção a três personagens que remontam à passagem dos discípulos de Emaús, que caminhavam aflitos pelo caminho até encontrarem alegria com a presença de Jesus. Nesta atmosfera, cerca de 340 representantes de todas as paróquias da Diocese de Criciúma, que atuam no serviço da Pastoral Catequética, equipes de preparação para o Matrimônio e Batismo, liturgistas e religiosas participaram do Seminário Diocesano de Catequese, promovido neste sábado e domingo, 24 e 25, pelas coordenações diocesanas de pastoral e de catequese.
 
"O querigma - o primeiro anúncio - deve ser uma preocupação não só da catequese, mas de toda a Igreja", provocou o assessor do encontro, Padre Luiz Alves de Lima (sdb), de São Paulo (SP), que, entre diversas funções, é assessor da Conferência do Episcopado Latino Americano e do Caribe (CELAM) e membro da equipe de redação do Documento 107 - "Iniciação à Vida Cristã: itinerário para formar discípulos missionários", lançado na terça-feira, 20, pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), após a aprovação durante sua 55ª Assembleia Geral.

A atividade foi realizada no Auditório do Colégio São Bento, em Criciúma, que ficou praticamente lotado pelos participantes, em sua maioria, catequistas. "A catequese deve educar para o discipulado, para o seguimento de Jesus. Iniciação à Vida Cristã não se faz só na catequese. A catequese é a mais importante atividade no processo de Iniciação à Vida Cristã, sim, e está a seu serviço, sendo parte integrante do conjunto. Todos os processos da Iniciação à Vida Cristã vão pedir a presença de outros agentes de pastoral, além dos catequistas. Na verdade, a Iniciação à Vida Cristã é a vida de comunidade. A gente introduz a pessoa ao mistério de Cristo, mas também da Igreja e da comunidade", ressaltou padre Lima, ao explicar a importância da unidade dos agentes das pastorais Catequética, Litúrgica e Familiar.
 
"Nós temos a doce ilusão de pensar que todo mundo conhece Jesus Cristo. Há muitos elementos na nossa cultura que ainda são reflexo da cristandade. Vivemos de juros do passado, muitas vezes sem ardor missionário, porque pensamos que todos têm a experiência de Jesus Cristo. O fato é que muitas pessoas ainda não sabe que Jesus é o Caminho, a Verdade e a Vida", motivou a reflexão o especialista em Teologia.
 
Segundo padre Lima, um dos grandes desafios dos agentes da Igreja é motivar a participação dos pais de batizados a participarem ainda mais da comunidade do que antes do sacramento, justamente pela pertença que se inicia a partir dele. "Não é somente preparar, mas ajudar as pessoas a pertencerem à comunidade" - afirmou o presbítero, que depois indagou a assembleia: "Quantos de vocês buscam as famílias que preparam após a celebração do batismo e convidam para participar mais da Igreja?".

Padre Lima também explicou todos os passos do Ritual de Iniciação Cristã de Adultos (RICA), livro litúrgico que traz as celebrações, entregas, e outros ritos da Iniciação. O recente Documento da CNBB, estudado no Seminário, afirma: "O RICA não é um livro catequético, centrado no conteúdo doutrinal a ser transmitido, mas, sim, um livro litúrgico com ritos, orações e celebrações. Entretanto, esse livro dá uma visão inspiradora de uma catequese que realmente envolva a pessoa no seguimento de Jesus Cristo, a serviço do Reino, expresso na vivência dos sacramentos do Batismo, da Crisma e da Eucaristia" (n. 119).
 
Do parágrafo 69 do Documento 107, o assessor ressaltou: "A Iniciação à Vida Cristã é uma urgência que precisa ser assumida com decisão, coragem e criatividade". Padre Lima esclareceu que a nova proposta da Igreja não é tão complicada assim, pois, no fundo consiste em tomar a atividade da atual modelo de catequese que recebemos da Tradição, e já bastante renovada, e inseri-la no seu lugar de origem, que são os processos de Iniciação à Vida Cristã, chamado também de catecumenato. É preciso também esclarecer que não se trata do movimento ou caminho do neo-catecumenato; este é um modelo, bastante radical de catecumenato e que há quase 50 anos vem sendo proposto na Igreja, mas não é o único.
 
Padre Lima também destacou aos participantes do encontro a importância da unidade nos serviços da Igreja diocesana. "A Iniciação à Vida Cristã não é uma questão paroquial. A paróquia irá realizar aquilo que foi planejado pela Diocese. Não se trata apenas de uma questão prática, mas teológica. A Diocese é uma Igreja completa, conduzida por um bispo, sucessor dos apóstolos, com a colaboração dos padres. Os religiosos(as) contribuem com seu carisma próprio para a pastoral diocesana, com a qual devem trabalhar em comunhão. É preciso nos convencer de que não estamos trabalhando isoladamente. Precisamos trabalhar 'diocesanamente'!", advertiu.

Participantes fazem avaliação positiva do encontro
 
Durante todos os momentos do Seminário Diocesano de Catequese, que contabilizou 15 horas de estudo, partilhas e confraternização, leigos, leigas e religiosas demonstraram entusiasmo e atenção às explanações de Padre Lima que, além de partilhar conhecimento e sabedoria, demonstrou bom humor ao arrancar risos dos participantes e conquistar a simpatia do grupo.
 
"Foi um seminário muito rico, muito dinâmico. Os participantes, os catequistas tiveram uma presença muito viva, empreendedora. Gostei da sabedoria do assessor, da experiência de vida dele. Ele foi um porta-voz de Deus mesmo, um verdadeiro catequista, porque o ser catequista é fazer ressoar e foi isso que vi nele, esse ressoar de Deus para nós", declara Irmã Izabel Bittencourt Pereira, religiosa das Filhas do Divino Zelo, da comunidade instalada na Paróquia São Donato, em Içara, onde atua nas pastorais Catequética, Vocacional e da Juventude.
 
Para a coordenadora da Pastoral do Batismo na Comarca de Urussanga, Edith Crema Fontanella, a apreciação foi semelhante. "Eu gostei demais, mesmo. O seminário foi excelente, acessível e deve ser repetido, pois isso vai nortear a nossa caminhada, quer na coordenação, quer no dia a dia dos catequistas, liturgistas. Nota mil para o assessor, especialmente no que se referiu à evangelização, ao 'ir ao encontro'!".

Celebração Eucarística encerra encontro
 
O Seminário foi encerrado com a celebração da Santa Missa, às 11h30min, presidida pelo Bispo Diocesano, Dom Jacinto Inacio Flach, e concelebrada por padre Lima e pelo coordenador de pastoral, padre Joel Sávio. Em sua homilia, Dom Jacinto enfatizou o momento de ação de graças como um grande kairós e falou sobre a mensagem confortadora do evangelho de hoje. "Estamos trabalhando para Ele, por isso não precisamos ter medo, porque Ele vai nos dar toda graça e força que vamos precisar para que nossa evangelização seja cada vez melhor", disse o epíscopo.
 
Dom Jacinto reafirmou o desafio de introduzir as pessoas no processo de Iniciação à Vida Cristã no mundo onde a cristandade, especialmente no que tange à evangelização dentro dos lares, perdeu sua força. "O querigma, vocês sabem, é anunciar Jesus Cristo em poucas palavras - Jesus é o filho de Deus que veio neste mundo trazer a salvação para toda a humanidade e a vida eterna - levar a boa nova. Jesus é o Senhor, Jesus tem as palavras, tem a graça que só Ele pode nos dar. Estamos todos a serviço dEle".
 
O Bispo ratificou essa orientação da Igreja: para que a Iniciação Cristã se torne possível, liturgia, catequese e vida devem caminhar juntas e recordou as celebrações realizadas pelo clero diocesano durante o estudo sobre o mesmo tema, nessa semana. Disse também que o processo de Iniciação à Vida Cristã, depois de iniciado, é um caminho que não tem volta e que exige fé, amor e preparação de todos os agentes envolvidos. "Iniciação à Vida Cristã não é só preparar para o sacramento, como se fosse uma formatura. Por isso a mudança de calendário de nossas atividades, que devem seguir o ano litúrgico e não civil. Nós queremos é professar a nossa fé na vida do Senhor, no ano da liturgia".

Dom Jacinto ainda manifestou sua alegria e afirmou ser uma grande graça a difusão de novos ambientes nas salas de catequese, não mais seguindo o modelo de salas de aula, mas transformadas em espaços litúrgicos na maioria das comunidades da Diocese.
 
O Bispo enfatizou o engajamento da Diocese para atender à mudança de época, com a elaboração dos novos itinerários de catequese que já estão sendo utilizados por todas as comunidades, ainda em busca da perfeição.
 
Ao final da celebração, o epíscopo afirmou continuar contando com a boa vontade dos agentes de pastoral inseridos em todas as paróquias e agradeceu à equipe que coordenou o encontro e participantes, destacando a presença das religiosas. "Queridos catequistas, celebrar esta missa de encerramento, para mim, é uma grande alegria, pois sei que a partir de vocês e dos padres as coisas irão melhorar", declarou. Antes da bênção final, o bispo fez sua intenção, consagrando todos e suas famílias ao Sagrado Coração de Jesus e fez um agradecimento especial a padre Lima, elogiando-o por sua humildade e sabedoria.

Confira o álbum de fotos completo na página do Facebook da Diocese de Criciúma.