Cúria Diocesana (48) 3433.6313 Catedral São José (48) 3433.1079 imprensa@diocesecriciuma.com.br

A missão continua...

Data de Publicação
09
2015
02
Segunda-feira
17h57
09 de Fevereiro de 2015 17h57

Sabemos que todos precisamos de uma parada para tomar fôlego. Mesmo que breve, uma pequena pausa nas atividades é necessária para repor energias e repensar a caminhada. Uma coisa é certa: nunca interrompemos a caminhada. Ao retornarmos, retomamos algumas coisas onde paramos e começamos outras que pedem as necessidades da comunidade.

Para nós, aqui da paróquia Santo Antônio, em Dueré (TO), o mês de janeiro foi muito abençoado. A Semana Missionária que realizamos deixou saudade. Ainda se ouvem pelas ruas as palavras de admiração por tudo o que foi feito. Todos são unânimes em afirmar que o evento foi uma realização que reacendeu a fé de muitas pessoas e levantou o ânimo de todos. Palavras e gestos dos missionários são lembrados com carinho pelos que acompanharam as visitas e pelas famílias visitadas.

Mas agora é hora de darmos continuidade a todo esse trabalho. Muitas coisas precisam ser feitas. Precisamos concentrar nossas forças na catequese sacramental, na formação litúrgica e cristã das lideranças. Dedicaremos mais tempo para estar com os jovens na Igreja e nos colégios. Retomaremos as visitas domiciliares aos doentes e idosos, acompanharemos as turmas de catequese; gastaremos mais tempo nas comunidades, com nossa presença, para que a missão não seja apenas celebrar missas, mas sim, trabalhar para formar um povo que tome consciência da sua pertença a Deus.

A Campanha da Fraternidade, o ano da paz, o ano da vida consagrada, serão nosso ?pano de fundo? em todas as atividades. Creio que o que vem em primeiro lugar é a necessidade do anúncio. Sem o anúncio da Palavra, não há como trabalhar por uma sociedade pacificada, solidária e mais devota a Deus. Este trabalho é de discipulado de Jesus. A missão se torna perfeita quando discípulos trabalham juntos. Que não haja disputas entre lideranças e nem quem se acha dono da ?verdade?. Precisamos ter consciência de que pertencemos a Deus e necessitamos ser Igreja para participar do Reino. É urgente ir ao encontro do outro, como portadores de uma mensagem de paz e de alegria que, acolhida pelos ouvintes, produzirá muitos frutos.

O nosso trabalho é semear a mensagem do Evangelho como boa semente. Para isso, precisamos crer na capacidade e poder da semente, porque a Palavra de Deus tem poder de curar os enfermos, libertar os possessos, dar alegria aos tristes, coragem aos desalentados, etc. Mas também precisamos crer na força de quem a faz produzir, que é Deus. É necessário docilidade de espírito para deixar-nos modelar por Deus. Não é tarefa fácil trabalhar na construção do Reino, principalmente quando a mensagem não é bem acolhida, mas, o que o evangelho nos mostra é que nunca ficamos no prejuízo, mesmo que não haja uma adesão em massa. A bênção sempre acompanha quem a deseja e distribui (Lc 10, 6). Não é nossa prerrogativa querer o mal do próximo. Também não devemos carregar em nosso coração as experiências negativas como se fosse uma mala sem uso. Devemos semear sempre, esperando um bom resultado, e deixar que o julgamento seja realizado por aquele a quem cabe, unicamente, que é Deus.

Querido e amado povo de Deus, as exigências do evangelho podem ser difíceis, mas são elas que nos ensinam o caminho da santidade. Cumprir a Palavra de Deus é nossa meta e isso não precisa ser realizando grandes coisas, mas que cada gesto nosso seja manifestação da nossa fé e do nosso amor. Dessa forma estaremos construindo o Reino de Deus no cotidiano da nossa vida. A missão é uma só e é dada a toda a Igreja.

Que a paz reine em nossos corações e nos faça promotores da paz!

Padre Antonio Mendes