Cúria Diocesana (48) 3433.6313 Catedral São José (48) 3433.1079 imprensa@diocesecriciuma.com.br

4. Dimensão Ministerial

282. Os ministérios leigos são verdadeiros ministérios que correspondem aos carismas dados pelo Espírito Santo para responder às necessidades das comunidades. Se a carência de padres indicou a necessidade desses ministérios, fique claro que estes podem existir, mesmo que os padres existam em número suficiente para a demanda sacramental, pois, são carismas que devem ser acolhidos e estimulados na vida da Igreja. Os(as) ministros (as) leigos(as) têm dignidade própria, prestam serviço à Igreja e por isso não podem ser considerados como simples colaboradores dos padres.

283. A Igreja Ministerial seja assumida por todas as Paróquias, comunidades, serviços de pastoral, na formação dos seminários e comunidades religiosas, em resposta às necessidades da nossa Igreja.

284. As Paróquias deem apoio à criação e implantação de novos Ministérios Leigos, segundo suas necessidades, respeitando a caminhada de cada comunidade.

285. Que o exercício dos diferentes Ministérios seja entendido e assumido como missão de todos os que são batizados.

286. Os Ministérios Leigos sejam exercidos dentro do tempo determinado pela Diocese, evitando-se assim que se tornem propriedades particulares de algumas pessoas.

287. Ao assumir um ministério requer-se do(a) cristã(o):
a) Participação, testemunho e engajamento na comunidade.
b) Ser apresentado pelo Conselho de Pastoral, consultada a comunidade, acolhido(a) pelo padre, recebendo o mandado do Bispo diocesano.
c) Participação nos cursos de aprofundamento da fé e capacitação pastoral.

4.1. Testemunha Qualificada do Matrimônio e Ministro(a) do Batismo

288. No Sacramento do Matrimônio, os noivos são os Ministros. Os padres e os Leigos que assistem ao matrimônio e o abençoam são “Testemunhas Qualificadas do Matrimônio”.

289. Para indicação de ministros(as) leigos(as) sejam observados os seguintes critérios: participação na vida comunitária e testemunho de vida; boa formação bíblico-teológica-litúrgica; bom desempenho na ação litúrgica; boa comunicação e acolhimento dos irmãos e irmãs e disponibilidade para participar de um curso preparatório.

290. A preparação dos(as) Ministros(a) do Batismo e das Testemunhas Qualificadas do Matrimônio será coordenada e orientada pela Diocese.

291. A veste litúrgica própria será indispensável para o exercício de tais ministérios, respeitando assim, a índole religiosa de nosso povo. Elas têm valor simbólico, como reconhecem as orientações litúrgicas da Igreja e da Diocese.

292. As nomeações de ministros(as) serão sempre para uma paróquia determinada. Havendo necessidade de uma atuação em outra paróquia, será necessária uma autorização especial. No caso da Testemunha Qualificada para o Matrimônio, a autorização deverá ser do Bispo.

293. Cada leigo ou leiga assumirá apenas um desses ministérios para melhor poder exercer a sua missão.

294. Cabe ao(à) Ministro(a) do Batismo conhecer as orientação da Igreja a respeito do Batismo, administrar o sacramento do Batismo conforme as normas pastorais e participar da equipe de preparação dos pais e padrinhos dos batizandos, bem como ajudar a animar a Pastoral Familiar.Nas celebrações contar com uma equipe de apoio para o momento do batismo.

295. Cabe à Testemunha Qualificada do Matrimônio: conhecer as orientações da Igreja a respeito do Matrimônio, integrar a equipe preparatória de noivos, ajudar a animar a Pastoral Familiar e presidir a celebração do Sacramento do Matrimônio, conforme normas pastorais da Diocese e da respectiva Paróquia.

296. Sempre que possível a Testemunha Qualificada do Matrimônio em suas atividades, se faça ajudar, se casado(a), pelo seu esposo ou esposa. A presença do casal deve ser expressão de testemunho de comunhão e união da vida matrimonial.

4.2. Ministério Extraordinário da Comunhão Eucarística

297. Os(as) Ministros(as) Extraordinários(as) da Comunhão Eucarística devem, em primeiro lugar, atuar e exercer sua missão na comunidade, promovendo a unidade, a comunhão e a participação.

298. Os(as) Ministros(as) Extraordinários(as) da Comunhão Eucarística são nomeados para uma comunidade específica da Paróquia.

299. Os(as) Ministros(as) Extraordinários(as) da Comunhão Eucarística têm a missão de ajudar na distribuição da Sagrada Comunhão nas missas, nas celebrações da Palavra na comunidade e levar a comunhão aos doentes, idosos e portadores de necessidades especiais.

300. O Santíssimo Sacramento deve sempre ser guardado no Sacrário da Igreja e não em casas particulares ou de algum(a) ministro(a).

301. Zelar pela dignidade do culto eucarístico e de tudo que lhe diz respeito.

302. Fazer parte da Equipe de Liturgia e estar atento às necessidades da comunidade, promovendo a união de todos.

303. Preparar o doente para a recepção dos Sacramentos da Confissão e da Unção dos Enfermos, que será ministrado por um padre.

304. Procurar despertar o interesse de todos os membros da família do assistido para que participem da celebração.

4.3. Ministério das Exéquias

305. Os(as) Ministros(as) das Exéquias exercerão sua missão na Paróquia para a qual foram nomeados(as).

306. Quando ocorrer morte numa família, empenhem-se os presbíteros e os ministros(as) das Exéquias em prestar apoio aos familiares.

307. Não há necessidade que antes do enterro se faça a missa de corpo presente. Realize-se uma Celebração da Palavra e se façam as orações chamadas “exéquias”.

308. O velório seja marcado de grande piedade e solidariedade com a família do(a) falecido(a).

309. Não se façam velórios na Igreja. O corpo poderá ser levado à Igreja para a celebração.

310. As Paróquias organizem a Pastoral da Esperança de modo particular para auxiliar o Ministério das Exéquias.

311. Cabe aos (às) Ministros(as) das Exéquias:
a) Marcar presença nos velórios e enterros.
b) Conduzir momentos de oração durante o velório e na despedida.
c) Presidir a celebração de encomendação.
d) Visitar e organizar momentos de oração junto às famílias enlutadas, nas semanas que seguem o falecimento de um de seus membros.

4.4. Ministério da Palavra

312. Os leigos e leigas que exercem o Ministério da Palavra integrem-se nas Equipes de Liturgia e Celebração e preparem as celebrações com as mesmas.